Filme: Uma História de Amor e Fúria (resenha)

Luiz Bolognesi, formando em jornalismo pela PUC São Paulo, tem trabalhos como produtor e diretor de curta e longa metragens além de roterista de filmes como bicho de sete cabeça, Ellis e Bingo:O Rei das Manhãs.


Por  Ícaro Targino, para o Leituras Quase Obrigatórias


Informações do Filme
Autor: Luiz Bolognesi
Idiomas: Português
Disponível: clique aqui

O projeto Leituras Quase Obrigatórias tem como objetivo principal publicar sugestões de textos, artigos e livros que envolvem o universo das políticas públicas, oferecendo ao seu leitor um leque  oportunidades de diferentes  temas a serem estudados, porém nesta publicação vamos sugerir um filme, pois consideramos à arte audiovisual um difusor de conhecimento.

Retratado em uma animação o longa metragem Uma História de Amor e Fúria, conta a história de um herói imortal que está vivo há mais de 600 anos e devido a idade percorreu diversos momentos importantes da história do Brasil e ao mesmo tempo luta para encontrar o amor da sua vida Janaína.

O filme é dividido em 4 momentos importantes da nossa história, na primeira parte o personagem principal vive o índio tupinanbá abeguar e mostra a frustrante colonização francesa e a violência e poderio português, mostrando a crueldade vividas pelo povo indígena.

Na segunda parte ocorreu um avanço na história do Brasil e o personagem principal se torna Manuel do Balaio, residente do estado do Maranhão no ano de 1838, vivendo um negro livre no período da escravocrata. Com sua família se torna uma grande líder dos negros e promove a Revolta da Balaiada, porém mais uma vez sofre com a perda da família e visualiza o massacre promovido pelo homem branco.

Na Terceira parte do filme encontramos nosso personagem em meados da década 60 do século XX, no qual se torna um jovem estudante que retorna encontrar o grande amor da sua vida, Janaína. Neste período podemos encontrar a luta dos jovens pela liberdade no período ditatorial caminhando pelo crescimentos das comunidades cariocas

E na última parte do filme temos um salto para o ano de 2096 com a disputa pela água potável e a cidade do Rio de Janeiro que encontra-se como pano de fundo desta etapa da história. Demonstrando a realidade na diferença entre pobre, consumindo água poluída e ricos com ostentação em moradias de luxo e garantia de água potável.

Neste período do filme encontramos nosso personagem principal desacreditado da sociedade e apático a situações do dia a dia porém ao reencontrar Janaína, vivência a necessidade de lutar por direitos iguais a todos.

Sendo assim este filme de produção brasileira permite ao telespectador uma oportunidade de visualizar momentos importantes da história do Brasil e principalmente de forma lúdica entender as lutas que devemos ter por nossa história.

 

Referência

Luiz Bolognesi. Uma História de Amor e fúria, Globo Filmes 2013. Disponível <https://www.youtube.com/watch?v=D40DCBm5UjQ > acesso em 25- 07 – 2017

Sobre Nós –  Luiz Bolognesi.Buriti Filmes  Disponível <http://www.buritifilmes.com.br/o-luiz.php?cat=luiz>  acesso em 25-07-2017

Verch, Alessandra. Uma História de Amor e Fúria. Pitanga Digital. Disponível <https://pitangadigital.wordpress.com/2013/04/15/critica-de-cinema-uma-historia-de-amor-e-furia-e-nossa-historia-de-amor-e-furia/ > acesso em 25-07-2017

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − treze =