Commoditificação de dados, concentração econômica e controle político como elementos da autofagia do capitalismo de plataforma

No texto, o professor Roberto Moraes Pessanha, titular aposentado do Instituto Federal Fluminense (IFF) discute os desafios da regulação dos conglomerados tecnológicos em um texto que abrange conceitos econômicos e tecnopolítica. Ele critica os esforços regulatórios ineficazes dos Estados, que se mostram incapazes de controlar a divisão das empresas, oligopólios, tributação e proteção da privacidade dos dados. As próprias empresas-plataformas se propõem a autorregular-se, resultando no domínio de um modelo de negócio controlado pelo mercado.

O autor questiona a eficiência da ocupação progressista das redes sociais diante do controle centralizado do mercado sobre o poder político e judiciário. Ele defende a responsabilização dos proprietários das plataformas digitais gigantes e a exigência de controle e privacidade dos dados pela sociedade. A pressão da sociedade é vista como o fator determinante para modificar esse cenário, destacando a importância da política na transformação do gigantismo e da dominação tecnológica.

O texto-ensaio busca contribuir para a compreensão desse fenômeno ao relacionar teoria, conceitos, categorias e dados de pesquisas empíricas sobre o desenvolvimento das plataformas digitais.

Acesse o texto na íntegra em <https://www.comciencia.br/commoditificacao-de-dados-concentracao-economica-e-controle-politico-como-elementos-da-autofagia-do-capitalismo-de-plataforma/>

Referências e notas sobre o texto no link.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 4 =